A Papa Mielina

A Papa Mielina
banner A Papa Mielina

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Voltámos!

Depois de algum tempo sem darmos notícias, voltámos!
Começamos o ano com um artigo, sobre o ano que passou e o que de facto mudou nas nossas vidas.



Posso com toda a certeza dizer que o ano de 2017, foi um ano de mudanças. Mudámos de casa (de apartamento para moradia), mudámos da cidade para o campo, mudámos de trabalho, mudámos de hábitos, mudámos de horários, sobretudo mudámos a rotina, e temos um novo membro na família, a nossa querida Lola (uma cadelinha hiperactiva) que já entrou nos nossos corações 😍.

Embora tenhamos mais coisas para fazer, depois de um dia de trabalho, estamos felizes e passados 6 meses não estamos nada arrependidos em relação às decisões que tomámos.

Finalmente conseguimos dormir... O facto de pudermos ouvir o silêncio, é muito tranquilizante.

A Dona Eugénia Margaida servia de "bode expiatório", pois sempre que estava mal, sempre que tinha a dor daqui ou dali, sempre que passava uma noite sem dormir (sem ser por causa do barulho das outras "almas que por ali habitavam"), a culpada era sempre ela.
Mas na verdade, haviam outros culpados... que não vou referir pois isso tudo pertence ao passado e o que importa aqui é o presente e o futuro.

A conclusão a que chego, é que na verdade o único culpado no meio disto tudo, SOU EU! Porque não consegui evitar a acumulação de stress causada por certas e determinadas situações. Fui muito ingénua. Mas nada nem ninguém me haviam de preparar para o caminho que percorri até hoje.

Portanto decidi que já era tempo de pôr isto tudo para trás, e avançar. Mais uma vez o verbo "mudar" vai ser mote para este novo ano. E o grande desafio vai ser controlar o stress... Viver sem que o stress me controle e sem que a Dona Eugénia Margaida se intrometa.


Feliz Ano para todos!!!! 😘✌

sábado, 17 de junho de 2017

Caminhada Solidária pela cidade de Leiria!

Comemorar o dia Mundial da Esclerose Múltipla com uma Caminhada Solidária pela cidade de Leiria!


Pois foi no passado dia 4 de Junho, que participei na Caminhada Solidária, organizada pela SPEM Delegação Distrital de Leiria, que decorreu na cidade de Leiria.

Para além do convívio entre "colegas", cuidadores e curiosos, partilha de experiências e esclarecimento de dúvidas, durante a caminhada também se falou dos pontos históricos da cidade de Leiria e da importância que tiveram para o seu desenvolvimento.
A cidade estava repleta de actividades, para além da caminha estava a decorrer o Festival a Porta, junto ao Parque do Avião, Comemorações dos Bombeiros Voluntários e como é hábito aos Domingos, a Arena Desporto promovia a actividade física por toda a cidade.




Adorei poder ajudar! E sobretudo conhecer novas pessoas e poder partilhar experiências sobre como é ter de aturar a "Papa Mielina"! ;)

domingo, 30 de abril de 2017

Mas se os cuidadores, cuidam de Nós, quem cuidará Deles quando não conseguirmos ajudar?

Sinto-me grata por ter tanta gente que me apoia, e contar com o "Aquele que nos Atura", sempre do meu lado, com uma paciência e ternura sem fim! Mas se os cuidadores, cuidam de Nós, quem cuidará Deles quando não conseguirmos ajudar?

Toda agente tem ou já teve um familiar, vizinho, amigo, que cuida ou cuidou de alguém próximo porque, infelizmente essa pessoa perdeu a independência, fosse por acidente, doença ou pela idade. Com certeza que só quem passa por isto na vida saberá dar o devido valor a quem cuida. Mas e se parássemos um pouco para pensar, perceberíamos que todos nós, em qualquer momento da vida, poderemos ficar como cuidadores ou dependentes de alguém, seja temporariamente ou para o resto da vida.

Então este é um assunto que toca a todos!


Fico bastante preocupada quando penso na minha Mãe, que viu a saúde da minha avó a deteriorar-se, e que de um momento para o outro deixou de ter qualquer mobilidade e passou a depender de alguém 24 horas por dia... Fiquei destroçada quando a minha querida avó, uma mulher vivaça e cheia de vontade, perdeu toda a vivacidade de um dia para o outro. Os meus tios e a minha Mãe, viram-se de repente como cuidadores da minha avó, pois assumiram a responsabilidade de cuidarem da minha avó e de não a deixarem num lar.

Embora tenha visto a minha Mãe mais cansada do que o habitual, sinto que ela é "Feliz" por poder ser cuidadora da minha avó e poder contribuir para que viva um dia de cada vez, confortável e em família💗
Contudo fico sempre preocupada com ela, pois sofre de Fibromialgia, diagnosticada há bastante tempo, e que lhe dá muito que fazer, com todas as dores que sente 24 horas por dia, e que só lhe dão algum descanso, quando toma a medicação.

Já foi necessário meter baixa, já precisou de faltar ao trabalho, já foi necessário fazer mais tratamentos... por isso fico preocupada, pois não existem apoios suficientes para quem é cuidador de alguém, esteja a trabalhar ou não. No trabalho, já lhe começaram a descontar os dias em que faltou, para consultas com a minha avó, como dias de férias, porque já esgotou os dias a que tinha direito para o "apoio à família"... Conseguiu que lhe ensinassem, pequenas coisas mas que no dia a dia a ajudam muito, como movimentar a minha avó por exemplo, da cadeira de rodas para o banco do carro, ou para virá-la na cama... Por acaso uma Fisioterapeuta mostrou-se disponível para lhe ensinar isso... Para além de tomar a medicação para a Fibromilagia, a minha Mãe está a tomar medicação para a depressão, aconselhada pelo Neurologista... Consulta no privado pois no sector público desespera-se por consultas...

Preocupa-me bastante não existirem apoios para quem cuida, no caso da minha Mãe, o ser seguida por um Psicólogo e ter formação em como cuidar de pessoas que perderam a sua mobilidade...

Este é um assunto a que se deveria dar mais atenção... porque é desesperante pensar, e quem não tem disponibilidade financeira para pagar a médicos da especialidade? E quem está desempregado?  "E quem cuida dos cuidadores?" 😟


Partilho convosco a opinião de José Soeiro sobre o assunto, divulgado no Jornal Expresso, "E quem cuida dos cuidadores?".


No que toca aqui à "Eugénia Margaida", no passado dia 24 de Abril realizou-se na SPEM - Delegação Distrital de Leiria um encontro relativo à importância do cuidador na esclerose múltipla, é muito importante haver este tipo de iniciativas para os cuidadores, para poderem ser esclarecidos, trocar e partilhar experiências, e poder falar com um Psicólogo que acompanha diariamente estas pessoas.


^ Top